MJS Freelancer

MJS Freelancer

terça-feira, 1 de julho de 2008

Passeio de iate

O dia esteve convidativo, muito calor o sol como que escondido por detrás de uma neblina que é característica à nossa condição de ilhéus.

Recebi o convite para ir dar um passeio de iate e, amante confessa do mar, assenti imediatamente. O mar não estava chão, mas a ligeira ondulação não era preocupante e com espírito de aventura lá embarquei às 17h30 no "Air Mail" do Dr. Decq Mota.

O experiente skipper ligou motores para desfilarmos por entre as centenas de iates que procuram abrigo na internacional Marina da Horta, mas contornado o Farol da Doca o tempo foi de içar velas e partir à bolina.

O vento a refrescar-nos do brazio solarengo de final de tarde fazia antever um passeio deveras agradável.

Quem por cá anda não faz ideia da mestria que é preciso ter para domar as ondas.

Éramos uma tripulação de seis mulheres e cinco homens. Claro está que os trabalhos de manobra estiveram a cargo destes últimos, até porque uma de nós passou mal.

Chegados a terra o balanço era positivo e apesar do mau estar da Joana a satisfação era geral.

Foi delicioso estar ali no meio do Oceano Atlântico. Nunca a travessia entre o Faial e Pico me fez tão bem. Aquela calmaria vez me reflectir e pensar que realmente há coisas boas na vida.

Para terminar com chave de ouro rumei aos Cedros onde fui jantar com uma excelente companhia ao "Esconderijo".

Um sitío aprazível e pitoresco, sem dúvida.

"Take a walk on the wild side"...

Os seus proprietários não são açorianos, nem sequer portugueses. São oriundos da Alemanha e consigo trouxeram a cultura e os sabores. O jantar foi agradável, sossegado, relaxante mesmo.

Tudo isto porque alguém existe!

1 comentário:

Beto disse...

Mana do meu coração. Nada como uma tarde relaxante para nos dar novos aromas e paladares à nossa vida. Fico feliz por e digo-te aquela velha máxima "carpe diem". Aproveita cada momento porque a vida foi criada para a saborear e não para ser como um velho arquivo bolorento arrumado numa prateleira.
Beijo do mano Betovski