MJS Freelancer

MJS Freelancer

segunda-feira, 24 de novembro de 2008

A presidência da ALRAA


O povo foi ás urnas em Outubro e foi soberano. Carlos César viu, ouviu e venceu.
O parlamento viu o seu quórum reforçado com a eleição de mais cinco deputados e de outros quadrantes políticos que não só o socialista e o social-democrata.
É interessante, certamente as sessões plenárias vão ser mais animadas.
A tomada de posse do X Governo foi na semana passada e a Horta foi palco desse acontecimento.
Carlos César com um discurso optimista não disse nada de novo... e viu os faialenses "fazerem beicinho" à sua decisão de não indicar Fernando Menezes para continuar na presidência da ALRAA.
Até o PSD Faial se insurgiu numa atitude de solidariedade para com Fernando Menezes. Falou-se que alguns militantes estariam a reunir os seus cartões para entregar no partido. Até ver nada disso aconteceu...
A verdade é que o povo está descontente, pelo menos o do Faial, e sente um esvaziamento político...
Isto de ser apelidado de "Ilhas de Baixo" começa a doer... mas que raio, porque não foram às urnas e ditaram a diferença? sim, e não estou a apelar ao voto numa outra qualquer cor política, nem me cabe a mim fazer isso, mas se tivessem ido votar e a abstenção não tivesse sido tão grande, se calhar o cenário seria diferente.
Não basta reclamar quando na altura de se tomarem as decisões, quem tem o direito e o dever de as tomar, vira costas e manda tudo às urtigas.
Resta-nos a esperança de que Helder Silva, que ao que se sabe não tem as melhores relações com César, lute pelos objectivos do Faial.
Vamos ser optimistas e pensar que a nossa terrinha vai florescer.

1 comentário:

Marla disse...

Quem fala assim não é gago!
Realmente a constituição do X Governo não abona nada de bom ao Faial, porque diga-se o que se disser, as pessoas da ilha têm sempre uma visão melhor daquilo que ela precisa e daquilo que nela se passa, por isso seria bom um faialense "no poleiro".
Mas, como a autora deste texto diz - e bem - se os faialenses querem ser respeitados no contexto regional têm de fazer por isso, e não é ficando em casa no dia das eleições que vão lá...