MJS Freelancer

MJS Freelancer

quarta-feira, 20 de junho de 2012

Falta de comparência


Participar de feiras é uma actividade de planeamento que exige trabalho, dedicação e conhecimento. 
A participação em feiras é uma das acções que contribuem para a obtenção futura de proveitos por parte das empresas, é, acima de tudo, uma ocasião excelente para promover novos produtos/serviços ou testá-los, investigando directamente o mercado.
A participação em feiras comerciais é um dos instrumentos de marketing mais eficazes de que dispõem as empresas. 
Nas últimas décadas tem-se verificado um vertiginoso crescimento no número de feiras comerciais que se realizam nos mais diversos cantos do país, e que abrangem os mais variados sectores e produtos. 
Por cá esse fenómeno não é excepção e já fazem parte do calendário vários momentos de exposição em regime de feira, sendo que na semana passada,  no âmbito do Encontro do Mundo Rural, tivemos mais um desses momentos. 
Qual não foi o nosso espanto, todavia, quando, ao visitar o recinto da festa, constatámos que os empresários marcaram clara falta de comparência. 
De entre espaços cobertos, duplos e simples e espaços exteriores, ao todo foram disponibilizados 39 espaços. 
Desses 39 espaços 3 foram ocupados por stands de entidades oficiais; 5 por organizações sem fins lucrativos e 18 por empresas, algumas delas com mais do que um espaço. 
Um número francamente reduzido para a quantidade de empresas que existem na nossa ilha. 
A crise não pode continuar a ser a desculpa para tudo... porque se há crise, há que tentar combatê-la e isso só se consegue se se utilizarem as ferramentas e os meios adequados e este momento foi um deles. 
Não entendemos porquê esta falta de comparência dos empresários?!
Entendemos que é um esforço exigido um esforço suplementar para montar espaços atractivos, ter material promocional para disponibilizar, ter recursos para mobilizar, mas há que plantar para colher. 
Conversámos com empresários que, em alguns casos, se preparam muito antecipadamente para estes eventos, com a elaboração de produtos específicos, mas nem todos têm que fazer isso. Importa sim é estar presente, mostrar o que se anda a fazer... 
O grande sucesso das feiras como estratégia comercial e de marketing das empresas deve-se  essencialmente ao custo relativamente baixo em comparação a outros veículos de propaganda e divulgação. 
O tempo não ajudou é certo, mas nos dois dias em que lá fomos, existia um público considerável a passear-se no recinto.
Não merecem o faialense que se lhe mostre as tendências e o que se está a comercializar? Não merece o faialense ter acesso a estas iniciativas?
Pensamos que  talvez o que falte às  empresas seja entender que o resultado financeiro imediato não é o primeiro objectivo a ser aspirado, mas sim, o fortalecimento da sua marca, o que já é um importante passo para a fixação da imagem de sua empresa entre revendedores, consumidores e até concorrentes.

Sem comentários: