MJS Freelancer

MJS Freelancer

terça-feira, 13 de janeiro de 2015

Recuperações

É com agrado que registamos a recuperação da fachada dos edifícios da Colónia Alemã, com destaque para o edifício onde durante longos anos funcionou o Conservatório Regional da Horta.
Este edifício, situado na Rua Marcelino Lima estava há muitos anos ao abandono, chegando a “dar dó” por lá passar.
Entendeu em boa hora a atual Presidência da Assembleia Legislativa da Região Autónoma dos Açores arregaçar mangas, colocar as mãos à obra e o resultado está à vista. Temos um edifício de cara lavada.
Resta agora saber o que vão fazer dele. Não serve de nada dar um novo “look” e deixar novamente ao abandono. Esperemos que não fique por aqui e que dele façam bom uso, daria por exemplo um excelente museu da autonomia, bem perto da casa mãe e com gastos certamente menores que a outra auto denominada “Casa da Autonomia”,  a montar na ilha de São Miguel, sobre a qual já nos referimos aqui nesta coluna. 
Continuamos a partilhar da mesma opinião. É um erro crasso esta “Casa da Autonomia” se fixar em são Miguel até porque, de acordo com o  Plano e Orçamento para 2015, estão previstos  3 milhões de euros de investimento... um absurdo. 
Aqui na Horta nem metade desse valor se gastaría, para além claro, da lógica que há em ter aqui um Museu desse calibre. 
Outro registo positivo é a intervenção ao nível das coberturas,  que está a ser realizado desde de Julho, no edifício sede da Assembleia Legislativa da Região Autónoma dos Açores.
Ao que apurámos esta intervenção está a ser levada a cabo com o acompanhamento do autor do projeto original, arquiteto Correia Fernandes.
Depois de anos ao abandono, a verdadeira Casa da Autonomia começa a recuperar e a preparar os seus 25 anos, que terá lugar no dia 15 de Julho de 2015.
Não seria a “cereja no topo do bolo” se o Governo Regional dos Açores, e não o Governo Regional de São Miguel, mudasse de ideias e implementasse o museu cá?

Parece-nos, pelo atrás exposto e por tudo o que já foi escrito a este respeito, que a decisão mais assertiva seria essa mesmo. 

Sem comentários: