MJS Freelancer

MJS Freelancer

terça-feira, 30 de outubro de 2012

Tradições


Há quem diga que a tradição já não é o que era, mas em Portugal há tradições que ainda perduram. Uma delas é o Pão por Deus que, ao longo dos tempos, tem passado de geração em geração. 
Na manhã do dia 1 de Novembro, dia de Todos os Santos, as crianças juntam-se em pequenos grupos e vão   de porta em porta a pedir “uma coisinha de Pão por Deus” a ver quem enche o saco de guloseimas primeiro. 
Por cá, ano após anos, a tradição tem se mantido viva e, sobretudo nas freguesias rurais, os mais pequenos lá vão, com sorrisos rasgados, percorrer as ruas. 
Importa reter que esta tradição portuguesa tem muitas semelhanças com o Halloween norte-americano. Podem parecer duas coisas diferentes, mas há semelhanças entre o “Trick Or Treat” e o nosso “Pão por Deus”. Quer isto dizer que nós andamos a copiar as ideias dos americanos? 
Não me parece... parece-me sim que, um pouco por todo o mundo há tradições semelhantes. 
Nos Estados Unidos, as crianças percorrem as casas dos vizinhos na véspera do Dia de Todos os Santos a pedir doces, mas, em Portugal, essa visita é feita na manhã do feriado, sem conotações sobrenaturais ou ameaças de partidas a quem não tiver nada para dar.
Antigamente davam-se maçarrocas de milho, batata doce, castanhas, bolos de massa doce, rebuçados, figos passados, etc, ou seja, dava-se o que a terra dava!
Hoje em dia  as saquinhas de retalhos viraram mochilas e são cheias de guloseimas. 
Com a crise que nos assola e que serve de desculpa a todos os apertos de cinto com que somos brindados todos os dias, e refiro-me aos cortes nos ordenados, ao aumento dos impostos, e, de uma forma geral, às medidas de austeridade, não nos esqueçamos de que as crianças são a nossa alegria  e de que, neste dia, há que as fazer feliz. 
Esperemos é que, em Lisboa, e quando se discute o Orçamento do Estado para 2013, o nosso pão por Deus não seja composto de mais cortes e mais reduções. 
A 1 de Novembro também é hábito as pessoas irem ao cemitério arranjar as sepulturas dos seus entes queridos que já faleceram, com flores, que por tradição nesta altura do ano são crisântemos, já que no dia seguinte se comemora o "Dia dos Fiéis Defuntos".
A ver vamos se, com as notícias que vêm da Capital, não estejamos a hipotecar e a enterrar o nosso futuro que, ao que me parece, não se afigura nada risonho. 
Como alguém disse um dia “O Pão por Deus é a nossa tradição e um povo que mantém a tradição é um povo feliz”.

Sem comentários: